ICM 2019

Palestrante de Abertura

Leslee Shaw (USA)

PhD, professora de Medicina na Universidade Cornell, Leslee J. Shaw é uma das principais pesquisadoras em desfechos cardiovasculares com foco em diagnóstico clínico e manejo da cardiopatia isquêmica estável. Faz parte do seleto grupo de 1% de pesquisadores clínicos que têm as publicações mais citadas em medicina clínica na última década (reconhecido pela Thomson Reuters). Por suas contribuições científicas, o trabalho de Shaw é reconhecido com inúmeros prêmios, inclusive para publicações citadas mais de mil vezes.

Palestrantes Internacionais Confirmados

Adel H. Allam (Egito)

Adel H. Allam é professor de Cardiologia na Universidade Al-Azhar, no Cairo, e consultor médico do Banco Nacional do Egito (NBE). Como consultor médico do NBE, ele criou o registro da síndrome coronariana aguda, que fornece informações clínicas, de gerenciamento e de resultados para essa síndrome no Egito. Outros de seus projetos incluíram o aprimoramento da operação hospitalar e da prestação de serviços de saúde em hospitais do setor público. Suas áreas de pesquisas incluem a aterosclerose e suas descobertas mais recentes envolveram achados da doença em múmias, que demonstram a presença da aterosclerose no antigo povo egípcio.

Alia Abd El-Fattah (Egito)

Desde 2011, Alia Abd El-Fattah é chefe do Departamento de Cuidados Críticos da Universidade do Cairo, no Egito.

É consultora de Cuidados Críticos do Ministério da Saúde do Egito e foi vice-presidente do Hospital Kars El Aini, hospital público da universidade do Cairo. Trabalha ativamente na Sociedade Egípcia de Cardiologia.

Andrew Einstein (USA)

Cardiologista, professor de Medicina na Universidade de Columbia, em Nova York (EUA) e formado pela Universidade de Princeton e pela Escola de Medicina de Mount Sinai, Andrew Einstein é autor e coautor de artigos, resumos e capítulos de livros. É também revisor de várias revistas científicas, incluindo New England Journal of Medicine, JAMA, Lancet, Circulation e Journal of American College of Cardiology.

Daniel Weilenmann (Suiça)

Desde 2003, Daniel Weilenmann é diretor do Serviço de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista no Hospital Cantonal de St. Gallen, um dos maiores hospitais da Suíça. É graduado em Medicina pelas Universidades de Zurique e Lausanne e possui Residência em Medicina Interna, Cardiologia Clínica e uma profunda formação nas áreas de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista pelos hospitais Universitários de Zurique, Genebra e Basel, sendo proctor mundial nessa área.

Diana Paez (Austria)

Desde 2013, Diana Paez atua como chefe da Seção de Medicina e Diagnóstico por Imagem da Divisão de Saúde Humana, Departamento de Ciências e Aplicações Nucleares, da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) das Nações Unidas. Paez foca seu trabalho em fortalecer as competências em tecnologia de imagem não invasiva dos profissionais dos estados membros da AIEA, principalmente por meio da informação e das tecnologias da comunicação na educação. Ela é graduada em Medicina na Colômbia, com pós-graduação no St. Luke's-Roosevelt Hospital e no Memorial Sloan Kettering Cancer Center, em Nova York. Tem mestrado em Comunicação e Educação pela Universidade Autonoma, de Barcelona.

Erick Alexanderson (Mexico)

Erick Alexanderson Rosas é presidente da Sociedade Médica do Instituto Nacional de Cardiologia Ignacio Chávez e da Sociedade Mexicana de Cardiologia. É formado pela Faculdade de Medicina da Universidade Nacional Autónoma do México (UNAM). Rosas é diretor de mais de 12 cursos internacionais de Cardiologia, já ganhou mais de 15 prêmios por seus trabalhos e pesquisas, possui mais de 130 artigos e resumos publicados e é autor de sete livros e 38 capítulos, sendo membro do conselho editorial de diversas publicações, incluindo a JACC Cardiovascular Imaging. Também atua como cientista visitante no Centro Médico da UCLA. Ex-Presidente da Sociedade Mexicana de Cardiologia, presidente da Assembleia de Governadores Internacionais do ACC, Tesoureiro da Sociedade Interamericana de Cardiologia, pós-graduado pelo Hospital Brigham da Mulher, pela Harvard Medical School e Centro Médico Cedars Sinai da UCLA.

Felix Keng (Singapura)

Felix Keng é professor adjunto e associado da Escola de Medicina Yong Loo Lin, da Duke-NUS, consultor sênior do Departamento de Cardiologia do Centro Nacional do Coração de Singapura e membro da academia de Medicina de Singapura.

Fernando Mut (Uruguai)

Fernando Mut estudou Medicina no Uruguai e fez pós-graduação em Pesquisas Clínicas pela UCLA (Universidade da Califórnia). É estudioso da fisiologia cardíaca e da estratificação de risco e publi-cou inúmeros artigos nessas áreas, notadamente nos Estados Unidos e na Europa. Nos últimos anos, o interesse de Mut tem sido a interação patofisiológica entre o cérebro e o coração, e como as emoções impactam o funcionamento cardíaco. Colaborador dos Médicos sem Fronteiras, o uruguaio é consultor da Agência Internacional de Energia Atômica desde 2000.

Ganesan Karthikeyan (India)

Ganesan Karthikeyan, cardiologista clínico e intervencionista e professor de Cardiologia no Instituto de Ciências Médicas de All India, foca sua pesquisa nas doenças cardiovasculares que afetam países de baixa e média renda, especialmente a doença reumática cardíaca (RHD, sigla em inglês). É editor-chefe da revista científica internacional BMJ Heart Asia. Estudou na Universidade McMaster, no Canadá, como beneficiário da bolsa CIHR-Canada HOPE, sob supervisão do professor Salim Yusuf. Karthikeyan é consultor honorário da Divisão de Saúde Humana da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), membro do painel Expert RHD do Grupo de Estudo da Carga Global da Doença e presidente do conselho consultivo do Rheumatic Heart Disease, Evidence, Communication, Hope (RhEACH - Doença Reumática Cardíaca, Evidência, Promoção, Comunicação, Esperança).

Natallia N. Maroz-Vadalazhskaya (Bielorrússia)

Natallia N. Maroz-Vadalazhskaya é professora associada da Universidade Estatal da Bielorrússia e uma das principais pesquisadoras e clínicas da área da Cardiologia na Bielorrússia, com foco principalmente em diagnóstico clínico e manejo de doenças cardiovasculares agudas e estáveis, doenças coronarianas estáveis e cardiologia do esporte.

Nathan Better (Austrália)

O professor de Cardiologia em Melbourne, Austrália, completou sua formação na Escola de Medicina de Harvard, em Boston (EUA). Atualmente, trabalha como cardiologista no Hospital Royal Melbourne.

Prem Soman (USA)

Prem Soman completou os estudos com bolsas de estudo em Cardiologia e Imagem Cardíaca Avançada no Tufts Medical Center, em Boston, Massachusetts, Estados Unidos. Na Universidade de Pittsburgh, Soman é professor associado de Medicina (Divisão de Cardiologia) e de Ciência Clínica e Translacional. É fundador e diretor da clínica de amiloidose. A pesquisa de Soman enfoca o uso de técnicas de imagem baseadas em radionuclídeos para investigar doenças cardíacas. Ele é coautor de várias pesquisas originais, de editoriais, capítulos de livros, diretrizes nacionais e critérios de uso apropriado (American College of Cardiology), presidente ASNC 2017-2018.

Raffaele Giubbini (Itália)

Raffaele Giubbini é professor titular de Medicina e cientista na Universidade de Brescia e diretor do Departamento de Imagem no hospital da Universidade Spedali Civili, na Itália. Os principais campos de interesse e pesquisa de Giubbini são fluxo de sangue do miocárdico, reserva de fluxo coronariano e aplicação clínica de PET em cardiologia.

Renato Lopes (USA)

O cardiologista Renato Lopes é professor de Medicina da Divisão de Cardiologia da Duke University, onde foi premiado como melhor orientador em 2018. Desenvolve pesquisas na área de fibrilação, insuficiência cardíaca e anticoagulante. É fundador e diretor executivo do Instituto Brasileiro de Pesquisa Clínica e do Centro Brasileiro de Saúde Global da Escola Paulista de Medicina/UNIFESP, em colaboração com a Duke University e Marinha do Brasil.

Richard Underwood (Inglaterra)

O professor Richard Underwood graduou-se com distinção em Química pelo Merton College Oxford e passou a estudar Medicina, graduando-se em 1977. Após graduar-se em Medicina, especializou-se em Cardiologia, aprendendo técnicas não invasivas e outras. Nos últimos 30 anos, vem trabalhando com imagem cardíaca não invasiva, com grande interesse clínico e de pesquisa em cardiologia nuclear, ressonância magnética e tomografia computadorizada cardiovascular. Desde 1985, trabalha no Royal Brompton Hospital, em Londres, e na ala acadêmica dessa instituição, o National Heart and Lung Institute, no Imperial College London. Atualmente, ele é o principal médico na área de estratégia de medicina nuclear, pesquisa e ensino no Royal Brompton Hospital e lidera a clínica em medicina nuclear no Harefield Hospital. Os interesses não clínicos de Underwood incluem aviação, esqui e gastronomia.

Rob Beanlands (Canadá)

Chefe de Divisão de Cardiologia da Universidade de Ottawa, Rob Beanlands atuou em vários comitês e conselhos para organizações governamentais, corporativas e profissionais com impacto em políticas de saúde e diretrizes práticas. É editor associado do Canadian Journal of Cardiology. De 2012 a 2014, atuou como vice-presidente e, a partir de 2014, como presidente do Comitê de Revisão Científica VIII da Fundação do Coração e Derrame do Canadá (HSFC), presidente ASNC 2018-2019.

Salah Eddine Bouyoucef (Argélia)

Professor da Universidade de Argel e chefe do serviço de Medicina Nuclear, por 19 anos, do Hospital Universitário Bab El Oued, na Argélia, Salah Eddine Bouyoucef é pesquisador, tendo publicado diversos estudos científicos sobre cardiologia nuclear. É consultor da Agência Internacional de Energia Atômica, organismo ligado à ONU, e conferencista frequente em eventos da área médica. É membro de sociedades, associações e federações internacionais, e é também editor de publicações importantes.

Salvador Borges Neto (USA)

Salvador Borges Neto é um médico cardiologista Brasileiro que há 30 anos emigrou para os Estados Unidos e hoje é professor da Universidade de Duke. Borges Neto é um médico conceituado, bastante ativo nas sociedades cientificas americanas. Desenvolveu uma das maiores bases de dados de cardiologia nuclear dos Estados Unidos na Universidade de Duke.

Stephen Stowers (Nova Zelândia)

Stephen Stowers é cardiologista e consultor em Cardiologia no MidCentral Health, em Palmerston North, na Nova Zelândia. Ele tem trabalho ativo na promoção da pesquisa do uso do cálcio coronariano como ferramenta importante na prevenção da mortalidade cardiovascular prematura.

Tirone David (Canadá)

Cirurgião cardiovascular mundialmente conhecido. Renomado e premiado cirurgião cardíaco e professor de Cirurgia na Faculdade de Medicina da Universidade de Toronto e da Cadeira de Cirurgia Cardiovascular Melanie Munk, no Peter Munk Cardiac Center, também em Toronto. Formado na UFPR, em Curitiba, há 50 anos, já no início da profissão emigrou para o Canadá, onde opera até hoje. É conhecido pela "técnica de David", para preservar a válvula aórtica, e outros procedimentos para tratamento da doença orovalvar e do aneurisma da aorta. Suas pesquisas continuam se concentrando em doenças das válvulas cardíacas, aneurismas da raiz da aorta e complicações mecânicas do infarto do miocárdio. David é ex-presidente da Associação Americana de Cirurgia Torácica e membro ilustre e honorário de várias outras academias e sociedades.

Palestrante de Abertura

Leslee Shaw (USA)

PhD, professora de Medicina na Universidade Cornell, Leslee J. Shaw é uma das principais pesquisadoras em desfechos cardiovasculares com foco em diagnóstico clínico e manejo da cardiopatia isquêmica estável. Faz parte do seleto grupo de 1% de pesquisadores clínicos que têm as publicações mais citadas em medicina clínica na última década (reconhecido pela Thomson Reuters). Por suas contribuições científicas, o trabalho de Shaw é reconhecido com inúmeros prêmios, inclusive para publicações citadas mais de mil vezes.

Palestrantes Internacionais Confirmados

Adel H. Allam (Egito)

Adel H. Allam é professor de Cardiologia na Universidade Al-Azhar, no Cairo, e consultor médico do Banco Nacional do Egito (NBE). Como consultor médico do NBE, ele criou o registro da síndrome coronariana aguda, que fornece informações clínicas, de gerenciamento e de resultados para essa síndrome no Egito. Outros de seus projetos incluíram o aprimoramento da operação hospitalar e da prestação de serviços de saúde em hospitais do setor público. Suas áreas de pesquisas incluem a aterosclerose e suas descobertas mais recentes envolveram achados da doença em múmias, que demonstram a presença da aterosclerose no antigo povo egípcio.

Alia Abd El-Fattah (Egito)

Desde 2011, Alia Abd El-Fattah é chefe do Departamento de Cuidados Críticos da Universidade do Cairo, no Egito.

É consultora de Cuidados Críticos do Ministério da Saúde do Egito e foi vice-presidente do Hospital Kars El Aini, hospital público da universidade do Cairo. Trabalha ativamente na Sociedade Egípcia de Cardiologia.

Andrew Einstein (USA)

Cardiologista, professor de Medicina na Universidade de Columbia, em Nova York (EUA) e formado pela Universidade de Princeton e pela Escola de Medicina de Mount Sinai, Andrew Einstein é autor e coautor de artigos, resumos e capítulos de livros. É também revisor de várias revistas científicas, incluindo New England Journal of Medicine, JAMA, Lancet, Circulation e Journal of American College of Cardiology.

Daniel Weilenmann (Suiça)

Desde 2003, Daniel Weilenmann é diretor do Serviço de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista no Hospital Cantonal de St. Gallen, um dos maiores hospitais da Suíça. É graduado em Medicina pelas Universidades de Zurique e Lausanne e possui Residência em Medicina Interna, Cardiologia Clínica e uma profunda formação nas áreas de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista pelos hospitais Universitários de Zurique, Genebra e Basel, sendo proctor mundial nessa área.

Diana Paez (Austria)

Desde 2013, Diana Paez atua como chefe da Seção de Medicina e Diagnóstico por Imagem da Divisão de Saúde Humana, Departamento de Ciências e Aplicações Nucleares, da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) das Nações Unidas. Paez foca seu trabalho em fortalecer as competências em tecnologia de imagem não invasiva dos profissionais dos estados membros da AIEA, principalmente por meio da informação e das tecnologias da comunicação na educação. Ela é graduada em Medicina na Colômbia, com pós-graduação no St. Luke's-Roosevelt Hospital e no Memorial Sloan Kettering Cancer Center, em Nova York. Tem mestrado em Comunicação e Educação pela Universidade Autonoma, de Barcelona.

Erick Alexanderson (Mexico)

Erick Alexanderson Rosas é presidente da Sociedade Médica do Instituto Nacional de Cardiologia Ignacio Chávez e da Sociedade Mexicana de Cardiologia. É formado pela Faculdade de Medicina da Universidade Nacional Autónoma do México (UNAM). Rosas é diretor de mais de 12 cursos internacionais de Cardiologia, já ganhou mais de 15 prêmios por seus trabalhos e pesquisas, possui mais de 130 artigos e resumos publicados e é autor de sete livros e 38 capítulos, sendo membro do conselho editorial de diversas publicações, incluindo a JACC Cardiovascular Imaging. Também atua como cientista visitante no Centro Médico da UCLA. Ex-Presidente da Sociedade Mexicana de Cardiologia, presidente da Assembleia de Governadores Internacionais do ACC, Tesoureiro da Sociedade Interamericana de Cardiologia, pós-graduado pelo Hospital Brigham da Mulher, pela Harvard Medical School e Centro Médico Cedars Sinai da UCLA.

Felix Keng (Singapura)

Felix Keng é professor adjunto e associado da Escola de Medicina Yong Loo Lin, da Duke-NUS, consultor sênior do Departamento de Cardiologia do Centro Nacional do Coração de Singapura e membro da academia de Medicina de Singapura.

Fernando Mut (Uruguai)

Fernando Mut estudou Medicina no Uruguai e fez pós-graduação em Pesquisas Clínicas pela UCLA (Universidade da Califórnia). É estudioso da fisiologia cardíaca e da estratificação de risco e publi-cou inúmeros artigos nessas áreas, notadamente nos Estados Unidos e na Europa. Nos últimos anos, o interesse de Mut tem sido a interação patofisiológica entre o cérebro e o coração, e como as emoções impactam o funcionamento cardíaco. Colaborador dos Médicos sem Fronteiras, o uruguaio é consultor da Agência Internacional de Energia Atômica desde 2000.

Ganesan Karthikeyan (India)

Ganesan Karthikeyan, cardiologista clínico e intervencionista e professor de Cardiologia no Instituto de Ciências Médicas de All India, foca sua pesquisa nas doenças cardiovasculares que afetam países de baixa e média renda, especialmente a doença reumática cardíaca (RHD, sigla em inglês). É editor-chefe da revista científica internacional BMJ Heart Asia. Estudou na Universidade McMaster, no Canadá, como beneficiário da bolsa CIHR-Canada HOPE, sob supervisão do professor Salim Yusuf. Karthikeyan é consultor honorário da Divisão de Saúde Humana da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), membro do painel Expert RHD do Grupo de Estudo da Carga Global da Doença e presidente do conselho consultivo do Rheumatic Heart Disease, Evidence, Communication, Hope (RhEACH - Doença Reumática Cardíaca, Evidência, Promoção, Comunicação, Esperança).

Natallia N. Maroz-Vadalazhskaya (Bielorrússia)

Natallia N. Maroz-Vadalazhskaya é professora associada da Universidade Estatal da Bielorrússia e uma das principais pesquisadoras e clínicas da área da Cardiologia na Bielorrússia, com foco principalmente em diagnóstico clínico e manejo de doenças cardiovasculares agudas e estáveis, doenças coronarianas estáveis e cardiologia do esporte.

Nathan Better (Austrália)

O professor de Cardiologia em Melbourne, Austrália, completou sua formação na Escola de Medicina de Harvard, em Boston (EUA). Atualmente, trabalha como cardiologista no Hospital Royal Melbourne.

Prem Soman (USA)

Prem Soman completou os estudos com bolsas de estudo em Cardiologia e Imagem Cardíaca Avançada no Tufts Medical Center, em Boston, Massachusetts, Estados Unidos. Na Universidade de Pittsburgh, Soman é professor associado de Medicina (Divisão de Cardiologia) e de Ciência Clínica e Translacional. É fundador e diretor da clínica de amiloidose. A pesquisa de Soman enfoca o uso de técnicas de imagem baseadas em radionuclídeos para investigar doenças cardíacas. Ele é coautor de várias pesquisas originais, de editoriais, capítulos de livros, diretrizes nacionais e critérios de uso apropriado (American College of Cardiology), presidente ASNC 2017-2018.

Raffaele Giubbini (Itália)

Raffaele Giubbini é professor titular de Medicina e cientista na Universidade de Brescia e diretor do Departamento de Imagem no hospital da Universidade Spedali Civili, na Itália. Os principais campos de interesse e pesquisa de Giubbini são fluxo de sangue do miocárdico, reserva de fluxo coronariano e aplicação clínica de PET em cardiologia.

Renato Lopes (USA)

O cardiologista Renato Lopes é professor de Medicina da Divisão de Cardiologia da Duke University, onde foi premiado como melhor orientador em 2018. Desenvolve pesquisas na área de fibrilação, insuficiência cardíaca e anticoagulante. É fundador e diretor executivo do Instituto Brasileiro de Pesquisa Clínica e do Centro Brasileiro de Saúde Global da Escola Paulista de Medicina/UNIFESP, em colaboração com a Duke University e Marinha do Brasil.

Richard Underwood (Inglaterra)

O professor Richard Underwood graduou-se com distinção em Química pelo Merton College Oxford e passou a estudar Medicina, graduando-se em 1977. Após graduar-se em Medicina, especializou-se em Cardiologia, aprendendo técnicas não invasivas e outras. Nos últimos 30 anos, vem trabalhando com imagem cardíaca não invasiva, com grande interesse clínico e de pesquisa em cardiologia nuclear, ressonância magnética e tomografia computadorizada cardiovascular. Desde 1985, trabalha no Royal Brompton Hospital, em Londres, e na ala acadêmica dessa instituição, o National Heart and Lung Institute, no Imperial College London. Atualmente, ele é o principal médico na área de estratégia de medicina nuclear, pesquisa e ensino no Royal Brompton Hospital e lidera a clínica em medicina nuclear no Harefield Hospital. Os interesses não clínicos de Underwood incluem aviação, esqui e gastronomia.

Rob Beanlands (Canadá)

Chefe de Divisão de Cardiologia da Universidade de Ottawa, Rob Beanlands atuou em vários comitês e conselhos para organizações governamentais, corporativas e profissionais com impacto em políticas de saúde e diretrizes práticas. É editor associado do Canadian Journal of Cardiology. De 2012 a 2014, atuou como vice-presidente e, a partir de 2014, como presidente do Comitê de Revisão Científica VIII da Fundação do Coração e Derrame do Canadá (HSFC), presidente ASNC 2018-2019.

Salah Eddine Bouyoucef (Argélia)

Professor da Universidade de Argel e chefe do serviço de Medicina Nuclear, por 19 anos, do Hospital Universitário Bab El Oued, na Argélia, Salah Eddine Bouyoucef é pesquisador, tendo publicado diversos estudos científicos sobre cardiologia nuclear. É consultor da Agência Internacional de Energia Atômica, organismo ligado à ONU, e conferencista frequente em eventos da área médica. É membro de sociedades, associações e federações internacionais, e é também editor de publicações importantes.

Salvador Borges Neto (USA)

Salvador Borges Neto é um médico cardiologista Brasileiro que há 30 anos emigrou para os Estados Unidos e hoje é professor da Universidade de Duke. Borges Neto é um médico conceituado, bastante ativo nas sociedades cientificas americanas. Desenvolveu uma das maiores bases de dados de cardiologia nuclear dos Estados Unidos na Universidade de Duke.

Stephen Stowers (Nova Zelândia)

Stephen Stowers é cardiologista e consultor em Cardiologia no MidCentral Health, em Palmerston North, na Nova Zelândia. Ele tem trabalho ativo na promoção da pesquisa do uso do cálcio coronariano como ferramenta importante na prevenção da mortalidade cardiovascular prematura.

Tirone David (Canadá)

Cirurgião cardiovascular mundialmente conhecido. Renomado e premiado cirurgião cardíaco e professor de Cirurgia na Faculdade de Medicina da Universidade de Toronto e da Cadeira de Cirurgia Cardiovascular Melanie Munk, no Peter Munk Cardiac Center, também em Toronto. Formado na UFPR, em Curitiba, há 50 anos, já no início da profissão emigrou para o Canadá, onde opera até hoje. É conhecido pela "técnica de David", para preservar a válvula aórtica, e outros procedimentos para tratamento da doença orovalvar e do aneurisma da aorta. Suas pesquisas continuam se concentrando em doenças das válvulas cardíacas, aneurismas da raiz da aorta e complicações mecânicas do infarto do miocárdio. David é ex-presidente da Associação Americana de Cirurgia Torácica e membro ilustre e honorário de várias outras academias e sociedades.